quarta-feira, 8 de agosto de 2018

LISTA DO AMANHÃ: 12 livros que li na época da escola e que hoje tenho meus próprios exemplares


Olá. Tive a ideia de fazer essa Lista do Amanhã quando percebi que tenho vários livros na minha coleção que li na época da escola. Eu coleciono livros, se não me engano, desde 2009, mas sempre pegava livros emprestados na biblioteca da minha escola. Eu era uma visitante assídua, HAHA. Então separei os 12 livros que de algum jeito me marcaram, foram pegos na biblioteca da minha escola e que hoje tenho meus próprios exemplares, alguns com outras capas e edições. Confira:

O MUNDO DE SOFIA de Jostein Gaarder

Eu li o livro no Ensino Fundamental e levei uns três meses para terminar, tendo renovado várias vezes na biblioteca, HAHA. Não sei como seria se eu relesse tantos anos depois. Eu li com a capa original, a azul, e lembro que fiquei curiosa sobre a história. Essa edição veio em um box maravilhoso com mais três livros do autor.

CORALINE de Neil Gaiman

Eu li o livro duas vezes na escola e até hoje foi meu único contato com o autor. Gosto muito da história e quero reler em algum momento.

OS CONTOS DE BEEDLE, O BARDO de J.K. Roling

Se não me engano também li o livro duas vezes na escola, e a segunda vez foi para uma Roda Literária sobre contos. Hoje tenho essa edição em capa dura maravilhosa que vem no box Biblioteca Hogwarts com os outros dois livros dessa coleção.

O GRANDE LABIRINTO de Fernando Savater

Também li o livro duas vezes na escola, e a segunda vez também foi para uma Roda Literária. Eu amei a história, e se minha memória não falha, foi por causa dela que conheci Dom Quixote. Ganhei essa edição da minha irmã que comprou ele usado, pois é muito difícil de encontrar esse livro hoje em dia.

DOM QUIXOTE de Miguel de Cervantes

A edição que eu li na escola foi uma antiga. Aqui no blog tem a resenha dessa primeira vez que li Dom Quixote (confere aqui). Comprei essa edição da editora Moderna que tem tradução e adaptação do autor Walcyr Carrasco, e acabei relendo a história do fidalgo e escrevendo outra resenha (confere aqui). Já coloquei na minha wishlist uma edição com o texto original da editora Martin Claret.

A VOLTA AO MUNDO EM 80 DIAS de Júlio Verne

Quando eu li o livro na escola foi em uma edição bem legal e ilustrada e resenhei ele aqui no blog (confere aqui). Eu adoro a capa da edição que eu tenho, que é da editora Moderna, e sim, tem tradução e adaptação de Walcy Carrasco, e quero reler a história algum dia.

VINTE MIL LÉGUAS SUBMARINAS de Júlio Verne

Quando li o livro foi nessa edição linda, também traduzida e adaptada por Walcyr Carrasco e fiquei muito feliz quando encontrei e comprei a mesma edição. Ela tem várias notas de rodapé muito legais. Tem resenha do livro aqui no blog (confere aqui).

OS MISERÁVEIS de Victor Hugo

Eu li a história em uma edição também com tradução e adaptação de Walcy Carrasco, e lembro que fiquei encantada com a história. Ganhei essa edição de amigo secreto e quero muito reler, porém na minha wishlist coloquei a edição maravilhosa da Martin Claret. Tem resenha aqui no blog (confere aqui).

DEPOIS DAQUELA VIAGEM de Valéria Piassa Polizzi

Eu li o livro por indicação de uma colega no meu último ano do Ensino Médio. É um livro muito importante e eu gostei muito da história. Comprei o meu exemplar em um sebo. Tem resenha aqui no blog (confere aqui).

OS 13 PORQUÊS de Jay Asher

Também li o livro no último ano da escola e lembro que fiquei viciada na história. Eu li a edição com a capa original, claro, e comprei o meu com a capa da série :( Tem resenha do livro aqui no blog (confere aqui), e esse ano tentei reler mas não fluiu.

O JOVEM LENNON de Jordi Sierra i Fabra

Eu amei o livro, que mistura realidade e ficção sobre a juventude de John Lennon. Eu li a edição que tem a capa em amarelo e vermelho e tem as melhores orelhas do mundo. Então fiquei chateada quando descobri que a edição que comprei não tinha elas :( Tem resenha aqui no blog (confere aqui).

KAFKA E A BONECA VIAJANTE de Jordi Sierra i Fabra

Eu li o livro pois gostei muito da escrita do autor em O Jovem Lennon, então fiquei bem feliz quando encontrei outro livro dele na biblioteca. Eu amei a história e a edição, que é a mesma que li na escola, é linda. Tem resenha aqui no blog (confere aqui).


Em 2013, quando eu estava no 3º ano do Ensino Médio, criei uma série aqui no blog chamada Retirei da Biblioteca, onde eu mostrava os livros que retirava da biblioteca da minha escola. Lá você encontra vários desses livros que eu mostrei e também outros.

Abraços e até a próxima!

domingo, 5 de agosto de 2018

TBR: Livros que quero ler em agosto 2018


Olá. Hoje vou falar sobre a minha TBR de agosto e estou muito feliz e empolgada com os livros escolhidos para ler. Os três livros tem menos de 300 páginas, e um deles tem menos de 200! Como estou sentindo que serão leituras ágeis, estou com a ideia de adicionar outro livro na TBR, mas só se der certo o que estou pensando, HAHA.


HEROÍNAS de Laura Conrado, Pam Gonçalves e Ray Tavares: "Não faltam heróis. Dos clássicos às histórias contemporâneas os meninos e homens estão por todo lugar. Empunhando espadas, usando varinhas mágicas, atirando flechas ou duelando com sabres de luz. Mas os tempos mudam e já está mais do que na hora de as histórias mudarem também. Com discussões feministas cada vez mais empoderadas e potentes, meninas e mulheres exigem e precisam de algo que sempre foi entregue aos meninos de bandeja: se enxergar naquilo que consomem.

Este é o livro de um tempo novo, um tempo que exige que as mulheres ocupem todos os espaços, incluindo a literatura.

Laura Conrado imaginou as Três mosqueteiras como veterinárias de uma ONG, que de repente contam com a ajuda de uma estudante que não hesita em levantar seu escudo para defender os animais.

A Távola Redonda de Pam Gonçalves é liderada por Marina, que diante do sumiço do dinheiro que os alunos de sua escola pública arrecadaram para a formatura, desembainha a espada e reúne um grupo de meninas para garantirem a festa que planejaram.

E Roberta é a Robin Hood de Ray Tavares. Indignada com a situação da comunidade em que vive, a garota usa sua habilidade como hacker para corrigir algumas injustiças.

Este é um livro no qual as meninas salvam o dia. No qual elas são o que são todos os dias na vida real: heroínas. Finalmente." - Skoob

Eu já li!!! Ganhei o livro de aniversário da minha irmã em julho e ainda não mostrei ele aqui no blog. Fiz a leitura nos primeiros dias de agosto pois devorei o livro e amei muito!

OS DOIS MUNDOS DE ASTRID JONES de A. S. King: "“O movimento é impossível.” É o que Astrid Jones, 17 anos, aprendeu na sua aula de filosofia. E, vivendo na pequena cidade em que mora, ela começa a acreditar que isso é mesmo verdade. São sempre as mesmas pessoas, as mesmas fofocas, a mesma visão de mundo limitada, como se estivessem todos presos em uma caverna, nunca enxergando nada além.

Nesse ambiente, ela não tem com quem desabafar suas angústias, e por isso deita-se em seu jardim, olha os aviões no céu, e expõe suas dúvidas mais secretas aos passageiros, já que eles nunca irão julgá-la. Em seu conflito solitário, ela se vê dividida entre dois mundos: um em que é livre para ser quem é de verdade e dar vazão ao que vai em seu íntimo, e outro em que precisa se enquadrar desconfortavelmente em convenções sociais.

Em um retrato original de uma garota que luta para se libertar de definições ultrapassadas, este livro leva os leitores a questionarem tudo e oferece esperança para aqueles que nunca deixarão de buscar o significado do amor verdadeiro." - Skoob


Já passou da hora de eu ler esse livro! Tenho ele desde junho de 2016 (envergonhada estou)! Possui capítulos curtos, protagonista LGBTQ+ e é jovem adulto, então espero muito amar a leitura.

ANNA E O PLANETA de Jostein Gaarder: "Pouco antes de completar dezesseis anos, Anna começa a receber mensagens em seus sonhos. Preocupados, os pais resolvem levá-la a um psiquiatra, mas o médico não acha que existe algo errado com ela. Na verdade, o excêntrico dr. Benjamin acredita que parte do que ela vê nos sonhos é real, como o agravo do aquecimento global e a consequente extinção de vários animais. Ele está certo, pois Anna está observando o mundo através dos olhos de Nova, sua bisneta que vive em 2082 e está prestes a fazer dezesseis anos. O mundo está desolado e Nova se sente cada dia mais revoltada com as gerações anteriores. Quanto mais Anna enxerga o futuro em seus sonhos, mais ela percebe que deve agir no presente. Mas será que ela vai conseguir agir rápido o suficiente para evitar que suas visões se tornem reais?"" - Skoob

Eu comprei esse livro no primeiro semestre de 2018, e quando mostrei ele aqui no blog eu disse que tentaria encaixá-lo nas leituras desse ano, pois a sinopse me deixou muito curiosa. Então agora a leitura vai acontecer!

Abraços e até a próxima!

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

#LeiturasDeFérias | LEITURAS DO MÊS: Julho 2018


Olá. Julho foi o mês das férias da faculdade e consegui cumprir minha TBR do mês (TBR de julho), lendo os dois livros propostos, e como eles eram bem grandes, achei que não daria tempo de ler mais um antes do mês acabar, porém, consegui estabelecer um ritmo bem bom nas leituras, lendo uma certa quantidade de capítulos por dia, e então deu tempo de ler mais um livro nos últimos dias do mês. Fiquei bem feliz! Abaixo você confere o que eu achei de cada livro:


CARRY ON | Rainbow Rowell | Novo Século | Nota 3.5/5

"Simon Snow é um bruxo que estuda numa escola de magia na Inglaterra. Profecias dizem que ele é o Escolhido. Você pode até estar pensando que já conhece uma história parecida. O que você não sabe é que Simon Snow é o pior Escolhido que alguém já escolheu.

Poderosíssimo, mas desastroso a ponto de não conseguir controlar sequer sua própria varinha, Simon está tendo um ano difícil na Escola de Magia de Watford. Seu mentor o evita, sua namorada termina com ele e uma entidade sinistra ronda por aí usando seu rosto. Para piorar, seu antagonista e colega de quarto, Baz, está desaparecido, provavelmente maquinando algum plano insano a fim de derrotá-lo. 

Carry On é uma história de fantasma, de amor e de mistério. Tem todos os beijos e diálogos que se pode esperar de uma história de Rainbow Rowell, mas com muito, muito mais monstros." - Skoob


Eu gosto muito da escrita da autora e do humor que ela sempre coloca tão bem nas histórias. Gosto muito dos diálogos também e os capítulos curtos ajudam no ritmo fluido da leitura.

Eu gostei dos personagens, e acho que aprendi a entender alguns deles, como a Agatha. Muitos personagens têm seus próprios capítulos narrados em primeira pessoa, e isso foi bom, pois pude ver um pouco da vida de cada um, suas personalidades, principalmente de Simon, Baz, Penélope e Agatha.

A fantasia possui elementos já conhecidos de outras histórias de magia, principalmente Harry Potter, mas também traz alguns detalhes que são bem originais e que até me surpreenderam. Eu gostei do romance, que deu um quentinho no coração.

Mas eu não consegui me conectar com a história, com a jornada do Simon. A partir do capítulo 52, precisamente, eu comecei a ficar mais instigada com o mistério e tudo o mais. Várias coisas são contadas e aos poucos elas foram se juntando, mas mesmo assim senti que eu precisava de mais respostas, pois achei um pouco confuso e corrido os últimos capítulos. 

Foi interessante, pois Carry On é uma história que não mostra desde o primeiro ano do Simon em Watford, mas sim seu último ano na escola. Então somos jogados nesse mundo mágico e várias coisas são explicadas sobre ele para nós o conhecermos, como feitiços, pessoas, lugares, relacionamentos.

Eu queria muito ter tido uma experiência maravilhosa com o livro, mas mesmo sendo uma leitura ágil, divertida e a partir de um certo momento intrigante, não consegui me sentir completamente envolvida com a história do Simon.

Descobri que o livro terá uma continuação, e eu vou querer saber o que aconteceu com os personagens depois do final de Carry On. Uma coisa muito louca, é que eu continuo amando o livro que a maioria não gosta, que é Anexos, HAHA.


SENHOR DAS SOMBRAS | Cassandra Clare | Os Artifícios das Trevas #2 | Galera Record | Nota 4/5

"A ensolarada Los Angeles pode ser um lugar sombrio na continuação de Dama da Meia-Noite, de Cassandra Clare. Emma Carstairs finalmente conseguiu vingar a morte dos pais e pensou que com isso estaria em paz. Mas se tem uma coisa que ela não encontrou foi tranquilidade. Dividida entre o amor que sente pelo seu parabatai Julian e a vontade de protegê-lo das graves consequências que um relacionamento entre os dois pode trazer, ela começa a namorar Mark Blackthorn, irmão de Julian. Mark, por sua vez, passou os últimos cinco anos preso no Reino das Fadas e não sabe se um dia voltará a ser o Caçador de Sombras que já foi. Como se não bastasse, as cortes das fadas estão em polvorosa. O Rei Unseelie está farto da Paz Fria e decidido a não mais ceder às exigências dos Nephlim. Presos entre as exigências das fadas e as leis da Clave, Emma, Julian e Mark devem encontrar um modo de proteger tudo aquilo que mais amam — juntos e antes que seja tarde." - Skoob

Então, é sempre um prazer voltar para o Mundo das Sombras. Mas, para mim, o segundo livro da trilogia foi muito cansativo de ler. Nada realmente acontecia, poucas coisas me empolgaram de verdade, os capítulos eram extremamente longos, apesar das quebras de cena e das perspectivas em terceira pessoa de vários personagens. Eu acabei me cansando dos diálogos longos que ocupavam páginas e mais páginas, e me cansando também de alguns personagens, o que foi ruim.

Apesar de tudo isso, eu continuo gostando muito da interação entre os personagens. Eu amo quando todos se reúnem e cada um pesquisa para a investigação que está acontecendo. Em algum momento da história um grupo de personagens vai para o instituto de Londres, e amei as referências ao trio Tessa, Will e Jem de As Peças Infernais. 

Falando em personagens queridos, temos muito Magnus e Alec ajudando as crianças. E uma coisa que eu gostei muito foi a interação entre Ty, Livvy e Kit.

O final foi chocante e despedaçou meu coração. Também ajudou na nota que dei para o livro, que seria 3.5, mas com o final eu precisei dar 4! Eu li Dama da Meia-Noite em janeiro de 2017, e demorei para ler a sequência, mas consegui não pegar nenhum spoiler de Senhor das Sombras. Não vejo a hora de ler Queen of Air and Darkness.


A ABADIA DE NORTHANGER | Jane Austen | L&PM Pocket | Nota 4/5

"Catherine Morland é uma ingênua mocinha de dezessete anos, viciada em livros repletos de desventuras horripilantes e amores trágicos. Da vida, ela sabe apenas o que leu nos romances. Até que sai de seu obscuro vilarejo natal para passar uma temporada em Bath, estação balneária frequentada pela aristocracia inglesa, onde, entre bailes excitantes, conhece um cavalheiro encantador e outro insuportável. De Bath, como em um sonho, ela vai para uma abadia. A antiga construção, porém, revelará sinais misteriosos, indícios de que já foi cenário, no passado, de um crime medonho. Exatamente como ela lera nos livros." - Skoob

Minha história com esse livro é complicada: Eu tenho A abadia de Northanger desde 2014. Comprei ele pela sinopse e capa, mas sempre tive medo e preguiça de ler pois a minha experiência com Jane Austen não foi tão maravilhosa lendo Orgulho e Preconceito, mas acredito que tenha comprado outro livro dela para dar uma segunda chance para a autora. Bom, ele ficou esse tempo todo parado na estante, sendo observado com uma careta e com o pensamento de que algum dia leria ele. E, finalmente, em 2018 isso aconteceu!

Em julho de 2018, nas minhas férias da faculdade, eu maratonei os vídeos do canal literário All About That Book, da Booktuber Mayra, que aliás ganhou completamente meu coração com seu jeito incrível de falar sobre livros. Em um certo momento passei pela resenha dela de A abadia de Northanger, e meu Deus, essa mulher me convenceu complemente a ler o livro. Quando comecei a ler ele, no finalzinho do mês, eu já tinha voltado das férias, então tecnicamente esse livro não é uma leitura de férias, HAHA.

Bom, quanto ao livro, me acostumei com o modo de falar da época, o vocabulário e o ritmo da narrativa, assim como o narrador.

Eu gostei da Catherine, mas algumas coisas me incomodaram, e eu até entendo que não era algo que a história iria abordar, mas é que a protagonista não questionava o papel da mulher na sociedade, pois durante a leitura há vários comentários sobre as damas e seus deveres, mas não havia uma discussão por parte da Catherine sobre isso. Ela é uma menina de dezessete anos ingênua, educada e que adora livros de histórias sombrias, e ela não tinha um pensamento avançado para questionar as pessoas, então eu entendo que era a cultura e as opiniões da época, mas me incomodou um pouco sim.

A parte da abadia é bem interessante e foi tudo muito bem contado. É uma história divertida, que ironiza os romances góticos da época, onde não se dava importância para os livros de ficção.

Achei bem intrigante e até gostosinho de ler. Fiquei envolvida com a história e os personagens, que em poucas páginas já sabemos quem são, sendo que alguns são insuportáveis e outros muito agradáveis.

Abraços e até a próxima!

quinta-feira, 19 de julho de 2018

Sobre o meu amor pela série COMO TREINAR O SEU DRAGÃO de Cressida Cowell


Olá. Mesmo nunca tendo escrito resenhas para os livros da série Como Treinar o Seu Dragão, da autora Cressida Cowell, percebi que queria compartilhar minha experiência com essa série fantástica. 

A editora que publicou os livros no Brasil foi a Intrínseca (ela tem um site sobre a série que você pode conferir aqui e ler a sinopse de cada livro), a série é composta por 12 livros e possui também um livro bem fininho que é contado pela perspectiva do Banguela. Fazendo as contas, passei 8 anos lendo as aventuras de Soluço, pois em 2018 li finalmente o último volume. 

Conheci Soluço assistindo ao filme que é inspirado no primeiro livro de mesmo nome. Me apaixonei pelo universo apresentado e claro, por Soluço e Banguela. Me diverti e me emocionei com o final, e o filme acabou se tornando a minha animação favorita da vida.

Então dei início a jornada de acompanhar a série de livros. Conheci mais a fundo o mundo dos Vikings, os personagens que não aparecem no filme, o próprio Soluço e Banguela, que é bem diferente. A narrativa da Cressida Cowell, as ilustrações, o humor, as aventuras, os epílogos, tudo é incrível.

É muito bacana lembrar que ganhei o primeiro livro da série de presente de Natal da minha irmã em 2010. A partir daí fui comprando e ganhando os livros conforme eram lançados. Como Treinar o Seu Dragão fez parte do final da minha adolescência e da minha história como leitora.


Meu primeiro pensamento é que a história cresce a cada livro. Ela se desenvolve e deixa de ser apenas uma história para divertir. Ela se torna muito mais. E o mais legal é que qualquer pessoa que se interesse em ler pode conhecer as memórias de Soluço. Tenho mais de vinte anos e me orgulho de ter os 13 volumes da série e por ter lido cada um deles (e relido o primeiro!).

Como eu disse, a série evolui, e não é apenas na quantidade de livros! Com o desenrolar da história de Soluço, nosso herói, aprendemos várias coisas boas. Coisas que valem a pena serem lidas para refletirmos e trazermos para nossas vidas. Aprendizados simples e também grandes valores. E não estou falando sobre ser um herói, domar dragões ou lutar com vilões, que são sim momentos incríveis na história. Quero dizer que a série Como Treinar o Seu Dragão fala sobre amizade, perdão, coragem, esperança, fidelidade e amor. No último volume, Como Combater a Fúria de um Dragão, há discursos sobre respeito às diferenças, igualdade e justiça. Soluço acaba ensinando muitas coisas para os Vikings, fazendo todos refletirem sobre o conflito que se apresenta nesse último livro.

Algo que eu pensava era que cada volume trazia uma aventura individual, fazendo o leitor escolher qualquer livro da série para ler e se divertir, e um detalhe legal é que em cada livro a autora apresenta os personagens ao leitor. Mesmo eu tendo comprado e lido na ordem cronológica, em certo momento comecei a notar uma grande mudança. No crescimento de cada personagem, no rumo que a história estava tomando, na seriedade que a série estava ganhando, notando a diferença com o primeiro volume. 


Então percebi que para acompanhar Soluço Spantosicus Strondus III em sua perigosa jornada ao lado dos amigos Perna-de-peixe e Camicazi, era preciso sim ler os livros na ordem certa, pois alguns detalhes dos livros anteriores são interessantes de serem lembrados quando o leitor pega o livro seguinte para ler. Coisas que eu deixei passar, mas que têm uma grande importância e fazem total sentido nos últimos volumes, quando a história deixa de ser somente uma diversão, e passa a ser também uma aventura séria, com os personagens mudando, com as reviravoltas acontecendo, com o destino da trama, com o nosso coração sendo lentamente despedaçado.

Soluço, Perna-de-peixe e Camicazi formam um trio fantástico e inspirador, sempre nos ensinando uma lição sobre o poder da amizade, sobre confiança e companheirismo e sobre coragem. É algo muito especial, e os três, junto dos outros personagens, formam um elenco muito único e querido.

Eu acompanho os filmes da DreamWorks, e como contei, Como Treinar o Seu Dragão (2010) é a minha animação favorita, apesar da enorme diferença com o livro. O segundo filme (2014) conseguiu ser tão bom quanto o primeiro, e também foge da história dos livros. Como Treinar o Seu Dragão 3 estreia em 2019 e finaliza a franquia nos cinemas com uma história que promete ser épica.

Esses são os meus livros favoritos da série!

Uma coisa que sempre notei ao longo da jornada de Soluço, é que ele nunca desejou ser um herói. Ele sempre fez as coisas com o coração, pensando nos dragões e nas pessoas, se importando com detalhes que muitos deixavam passar. Soluço era visto em Berk como alguém fraco e inútil, sofrendo bullying assim como seu amigo Perna-de-peixe. Então quando as aventuras aconteciam, ele não voltava para casa se achando um herói e esperando reconhecimento. Apesar de ganhar sim o reconhecimento merecido, pois ele passa por provações e perigos, ele continua sendo um garoto honesto, gentil, corajoso e que ama dragões.

Soluço sempre será um protagonista muito querido e inspirador, pois além de nos ensinar sobre como ser um herói ou simplesmente uma pessoa de bom caráter e valores, ele nos ensina sobre amor, pelas pessoas e pelos dragões.

Abraços e até a próxima!