segunda-feira, 31 de julho de 2017

#LeiturasDeFérias | LEITURAS DO MÊS: Julho 2017


Olá. Em julho eu estava de férias da faculdade, então me empenhei em ler bastante. Consegui ler cinco livros, todos ótimas leituras. Resenhei apenas o primeiro, então para conferir a resenha completa é só clicar no título dele a seguir. Para os outros tentei passar minhas impressões em breves comentários mas acabei escrevendo demais :) Em junho li apenas o mágico e divertido Quando a noite cai, da Carina Rissi, e como escrevi uma resenha só para ele, decidi não mostrar aqui junto. Então confira abaixo minha opinião sobre as leituras de julho:


O REI CORVO | Maggie Stiefvater | A Saga dos Corvos #4 | Verus | Nota 5/5

"Nada que está vivo é seguro. Nada que está morto é confiável. Há anos Gansey iniciou uma jornada para encontrar um rei perdido. Um a um, ele atraiu seus amigos para essa missão: Ronan, que rouba coisas de sonhos; Adam, cuja vida já não é sua; Noah, cuja vida não é mais vida; e Blue, que ama Gansey... e tem certeza de que está destinada a matá-lo. O fim já começou. Sonhos e pesadelos estão convergindo. Amor e perda são coisas inseparáveis. E a busca pelo rei se recusa a ser fixada em um caminho. A busca pelo rei adormecido vai chegar ao fim em Henrietta — mas não sem perdas, desejos, revelações e uma verdade brutal. Com O rei Corvo, Stiefvater conclui uma verdadeira obra-prima." - Skoob

O rei Corvo foi minha primeira leitura das férias, e também meu retorno à fantasia. Eu gostei da leitura, e apesar de não ter favoritado o livro, amei muito o epílogo e no final queria mais sobre os personagens porque eles são incríveis.


SIMON VS. A AGENDA HOMO SAPIENS | Becky Albertalli | Intrínseca | Nota 5/5

"Simon tem dezesseis anos e é gay, mas ninguém sabe. Sair ou não do armário é um drama que ele prefere deixar para depois. Tudo muda quando Martin, o bobão da escola, descobre uma troca de e-mails entre Simon e um garoto misterioso que se identifica como Blue e que a cada dia faz o coração de Simon bater mais forte.

Martin começa a chantageá-lo, e, se Simon não ceder, seu segredo cairá na boca de todos. Pior: sua relação com Blue poderá chegar ao fim, antes mesmo de começar." - Skoob

Na noite em que comecei a leitura do livro, pensei em ler apenas o primeiro capítulo. Mas acabou que li três, pois já nas primeiras páginas fiquei querendo saber o que iria acontecer, quem era o Blue e tudo o mais. Além de a escrita da autora ser bem fluida e leve.

A história é fofa e divertida, tem personagens muito interessantes e carismáticos, e também diversidade. Eu acredito que o livro traz pequenas lições e as amizades na trama são bem legais, além de ter muitas e muitas referências.

Gostei muito da perspectiva do Simon. A autora me surpreendeu e amei o toque delicado e engraçado que ela deu ao tema na história. Gostei muito dos últimos capítulos, e na revelação de quem era o Blue, eu fiquei emocionada e com um sorriso enorme no rosto. Tudo foi tão fofo...

Enfim, Simon vs. A Agenda Homo Sapiens é um livro LGBT instigante, inteligente e envolvente, e foi uma leitura rápida e fofa.


O LAGO DAS SANGUESSUGAS | Lemony Snicket | Desventuras em Série #3 | Seguinte | Nota 5/5 + 

"O misterioso autor das Desventuras em Série não só alcançou a lista de best-sellers infanto-juvenis do New York Times, como conseguiu entrar em todas as outras principais referências de vendagem americanas. Com sua estranha franqueza, na contracapa deste livro ele manda um recado a seus possíveis leitores:

Caro leitor,
Se você ainda não leu nada sobre os órfãos Baudelaire, é preciso que antes mesmo de começar a primeira frase deste livro fique sabendo o seguinte: Violet, Klaus e Sunny são legais e superinteligentes, mas a vida deles, lamento dizer, está repleta de má sorte e infelicidade. Todas as histórias sobre essas três crianças são uma tristeza e uma verdadeira desgraça, e a que você tem nas mãos talvez seja a pior de todas. Se você não tem estômago para engolir uma história que inclui um furacão, uma invenção para sinalizar pedidos de socorro, sanguessugas famintas, caldo frio de pepinos, um horrendo vilão e uma boneca chamada Perfeita Fortuna, é provável que se desespere ao ler este livro. Continuarei a registrar essas histórias trágicas, pois é o que sei fazer. Cabe a você, no entanto, decidir se verdadeiramente será capaz de suportar esta história de horrores.
Respeitosamente,
Lemony Snicket" - Skoob

Mesmo infeliz, trágica, horrível e triste, Lemony Snicket narra brilhantemente a história e me fez mergulhar facilmente nas desventuras dos irmãos Baudelaire. Mesmo eu já conhecendo esse episódio da vida deles por causa do filme, me surpreendi com alguns acontecimentos que não estão presentes na adaptação de 2004, e fiquei empolgada com a leitura.

O conde Olaf é daqueles vilões que sempre volta a aparecer com um plano mirabolante. Violet, Klaus e Sunny são incríveis e a cada livro me ensinam algumas lições. A narrativa é ao mesmo tempo desagradável e cômica.

Eu não ia favoritar o livro, porém, o final do último capítulo foi maravilhoso, não por causa do que aconteceu, mas de como o autor narrou aqueles últimos parágrafos. Para mim, O Lago das Sanguessugas tem um dos melhores finais de livro.

Algo muito legal, é que a partir do volume quatro, Serraria Baixo-Astral, não sei o que vai acontecer com os irmãos Baudelaire. O filme de 2004 adaptou apenas os três primeiros volumes (Mau Começo, A Sala dos Répteis e O Lago das Sanguessugas) e estou lendo os livros e assistindo a série da Netflix, que no momento tem uma temporada lançada, contendo oito episódios, dois para cada livro e aborda até o livro quatro. Estou amando a série e não peguei nenhum spoiler, portanto estou curiosa sobre os próximos livros e a série de TV.


SERRARIA BAIXO-ASTRAL | Lemony Snicket | Desventuras em Série #4 | Cia. Das Letras | Nota 5/5

"Na opinião de Lemony Snicket, "de todos os volumes que contam a vida infeliz dos órfãos Baudelaire, Serraria baixo-astral talvez seja o mais triste até agora". Alto-Astral é o nome da serraria que serve de cenário para as novas calamidades que Klaus, Violet e Sunny serão obrigados a viver. Trata-se de uma "ironia do destino", pois ali, no meio daquelas árvores derrubadas, daquelas enormes toras de madeira, o que as três crianças vão encontrar é mais uma coleção de coisas horripilantes, tais como uma gigantesca pinça mecânica, bifes do tipo sola de sapato, uma hipnotizadora e um homem com uma nuvem de fumaça no lugar da cabeça. A vida dos Baudelaire é mesmo muito diferente da vida da maioria das pessoas, "a diferença principal estando no grau de infelicidade, horror e desespero"...

Diante desse quadro, algum leitor desavisado pode desconfiar: "Como é que alguém vai se divertir com um livro desses, se as personagens não param de sofrer?!". A pergunta faz sentido, mas é justamente aí que descobrimos um dos melhores segredos de Lemony Snicket, pseudônimo do americano Daniel Handler. Ele leva o exagero às raias do absurdo, faz o realismo perder feio para o mais deslavado faz-de-conta e o resultado não poderia ser outro: um jogo literário incessantemente bem-humorado." - Skoob

Quando escrevi sobre O Lago das Sanguessugas eu estava prestes a começar a ler Serraria Baixo-Astral e ainda não tinha assistido aos episódios 5 e 6, que correspondem ao volume 3. Só depois eu assisti aos episódios e quando terminei Serraria Baixo-Astral finalizei a 1ª temporada com os episódios 7 e 8. No fim do ano quero escrever aqui no blog sobre a série da Netflix, assim como outras séries que assisti também. 

Eu estava lendo Serraria Baixo-Astral e achando tudo normal, mas é claro, como sempre, cruel. Acho que como era a primeira vez que eu lia algo sobre os Baudelaire além do que já tinha assistido no filme, não sabia para onde a história caminharia nem o que aconteceria com as crianças. Mas os últimos capítulos foram demais. O perigo, as tentativas de entender o que estava acontecendo, a invenção, as últimas cenas. Foi tudo muito bom. Achei legal também o fato de haver mais personagens nessa história, como Phil, Charles, Senhor e alguns outros. No geral gostei desse livro, especialmente da metade para o final.

Como eu disse, assisti aos últimos episódios da série, e fiquei com o coração apertadinho, mas com a certeza de que fiz a escolha certa pegando Inferno no Colégio Interno para ler agora, mesmo com a 2ª temporada (que vai do volume 5 ao 9) ainda sem data de estreia, pois eu não consigo parar de pensar naqueles últimos episódios (os quais me fizeram de trouxa e me deixaram querendo desesperadamente a 2ª temporada) e também não consigo sair do mundo de Desventuras em Série. 


INFERNO NO COLÉGIO INTERNO | Lemony Snicket | Desventuras em Série #5 | Cia. Das Letras | Nota 5/5

"Nada de aventuras emocionantes com final feliz: Violet, Klaus e Sunny Baudelaire são legais e inteligentes, mas a vida deles está repleta de má sorte e infelicidade. Em Inferno no colégio interno, os três irmãos enfrentam caranguejos, provas hiper-rigorosas e os castigos de um internato.

O colégio se transformou em mais um desastroso episódio de suas vidas horríveis. Desta vez, eles precisam escapar de fungos gotejantes e assistir a recitais de violinos, além de entender o complicado sistema métrico e suportar os exercícios de D.O.R. Violet, Klaus e Sunny têm o poder de atrair desgraças.

Quem gosta de histórias alegres não deve nem abrir este livro, avisa o autor, pois as histórias dos Baudelaire são sempre uma desventura pior do que a outra." - Skoob

Preciso começar dizendo que Inferno no Colégio Interno foi o livro da série mais angustiante para mim até agora. Meu Deus. Mas admirei muito o empenho dos irmãos, junto dos novos amigos, em tentar descobrir o plano do Conde Olaf.

Achei esse livro interessante pois traz um outro cenário para a história, que é a escola, novos personagens, como os irmãos Isadora e Duncan, crianças inteligentes, que também sofrem e que ajudam os Baudelaire. O final é daqueles "Meu Deus, cadê o livro seis para eu ler!", mas no momento vou interromper minha leitura de Desventuras em Série, e vou retornar apenas quando a 2ª temporada da série de TV for lançada. Assim, eu assisto os dois primeiros episódios (estou louca para ver como vai ser a adaptação de Inferno no Colégio Interno!) e depois leio O Elevador Ersatz para então continuar assistindo e assim por diante. Para finalizar, preciso dizer que estou amando Desventuras em Série, pois além de a leitura dos livros ser rápida, no meu caso de três, quatro dias, a série conta uma história instigante, e a partir do volume cinco parece que as coisas vão começar a mudar. E sim, já peguei alguns spoilers (o final da 1ª temporada é um gancho para a história do quinto livro), mas isso não muda minha curiosidade e empolgação.

Abraços e até a próxima!

domingo, 30 de julho de 2017

Playlist | Escutei em julho


Olá. Em julho escutei muita música boa e as coloquei várias vezes no repeat. Ouvi trilhas sonoras, instrumentais, descobri músicas bem legais e fiquei viciada nelas. Fiquei completamente apaixonada pela playlist do livro Talvez Um Dia, da Colleen Hoover. Aconteceu de eu conhecer as músicas antes, o que me deixou muito animada para lê-lo. Confira minha seleção de julho abaixo:

Maybe Someday | Griffin Peterson


I'm In Trouble | Griffin Peterson


Something | Griffin Peterson


Let It Begin | Griffin Peterson



It's You | Griffin Peterson


Living a Lie | Griffin Peterson


November 9 | Griffin Peterson


The One | Kodaline 


Whatever It Takes | Imagine Dragons


I'll Make It Up To You | Imagine Dragons (não encontrei nenhum vídeo com o áudio para colocar aqui, mas a música é maravilhosa e tem no Spotify)

Fetish | Selena Gomez ft. Gucci Mane (não consegui colocar o vídeo com o áudio oficial, mas aqui você pode ouvir a música e aqui assistir ao clipe)

♥ Linda | Projota ft. Anavitória (também não consegui colocar o vídeo do clipe, então aqui você assisti ele)

Most Girls | Haille Steinfeld


♥ Tema de Homem-Aranha: De Volta ao Lar (Original Television Series) | Michael Giacchino


Time To Pretend | MGMT


♥ Act My Age | Hoodie Allen


The  Avengers | Alan Silvestri


Fonte das imagens da montagem:
Griffin Peterson | fonte
Imagine Dragons | fonte
Selena Gomez | fonte
Haille Steinfeld | fonte

Abraços e até a próxima!

sábado, 29 de julho de 2017

O REI CORVO de Maggie Stiefvater


Esta é a minha resenha do quarto e último livro de A Saga dos Corvos, O rei Corvo, então leia por sua própria conta e risco. Boa leitura!

A Saga dos Corvos #4
Título: O rei Corvo
Título original: The Raven King
Autora: Maggie Stiefvater
Editora: Verus
Páginas: 378
Ano: 2016
Nota: 5/5

"Ele era um rei.
Havia chegado o ano em que ele morreria."

Sinopse: Nada que está vivo é seguro. Nada que está morto é confiável. Há anos Gansey iniciou uma jornada para encontrar um rei perdido. Um a um, ele atraiu seus amigos para essa missão: Ronan, que rouba coisas de sonhos; Adam, cuja vida já não é sua; Noah, cuja vida não é mais vida; e Blue, que ama Gansey... e tem certeza de que está destinada a matá-lo. 

O fim já começou. Sonhos e pesadelos estão convergindo. Amor e perda são coisas inseparáveis. E a busca pelo rei se recusa a ser fixada em um caminho. A busca pelo rei adormecido vai chegar ao fim em Henrietta mas não sem perdas, desejos, revelações e uma verdade brutal. Com O rei Corvo, Stiefvater conclui uma verdadeira obra-prima.


Eu li o livro no começo de julho, e como só agora estou escrevendo a resenha, tentei lembrar das impressões que tive enquanto lia e quando terminei de ler. E claro, como resenhei todos os outros três livros da série, o quarto e último merecia uma resenha só para ele também. 

Uma das sensações que tive enquanto lia O rei Corvo, foi que mais perguntas surgiam ao invés de as respostas que eu tanto queria aparecerem. Me senti um tanto confusa durante a leitura, pois já fazia um tempo que tinha lido o terceiro livro da série, Lírio Azul, Azul Lírio, e muitas informações e detalhes sobre a história estavam perdidas para mim. Porém, com o tempo, consegui voltar à escrita única da Maggie, aos personagens inesquecíveis que ela criou e ao clima mágico e misterioso de Henrietta e de outros cenários fantásticos.

Mesmo com novas questões surgindo, muitas coisas são reveladas, muitas descobertas são feitas, e isso me surpreendeu e me deixou feliz, pois estava com medo de que muitas perguntas ficassem sem respostas.


As descrições que a autora faz dos lugares e objetos são incríveis, e tudo é um pouco maluco pra mim, mas eu amo a forma como a Maggie traz esse mundo, essa fantasia, esses personagens, para o leitor.

O humor está levemente presente, e o clima de finalmente saírem em busca de algo, de estarem correndo perigos, de a história e o mistério estarem chegando perto do fim, é bastante tenso, e tem aquele toque de aventura, magia e coisas inexplicáveis.

Percebi que a autora focou nas relações entre os personagens. Ronan e Adam, Ronan e Declan, Gansey e Henry, Gansey e Blue. Tem uma conversa muito interessante entre Blue e seu pai, Artemus. Há algumas mortes na trama, umas bizarras e outras tristes.


Eu amei o epílogo. Ele me passou aquele sentimento de despedida e apesar de eu ter gostado muito das últimas linhas do livro, eu queria muito mais Gansey e Blue, pois eles são meus personagens favoritos da saga.

A Saga dos Corvos é composta por personagens muito especiais e de personalidades únicas e isso, além da escrita e da mitologia completamente diferentes, foi o que mais amei nos livros, pois eu me apeguei a eles, me importei com eles e quis muito que todos tivessem um final feliz.


"(...) havia algo recentemente poderoso a respeito dessa família reunida nesse carro. Todos estavam crescendo e se entremeando como árvores que lutam juntas pelo sol." - página 48

Então, como um todo, o livro não me arrebatou completamente, e foi por isso que não favoritei ele, mas diversos momentos me deixaram feliz, intrigada, aflita e surpresa, e eu gostei muito de como a autora finalizou a história, apesar de toda a saudade que ficou pelos personagens tão incríveis.

Abraços e até a próxima!

quarta-feira, 12 de julho de 2017

UMA CAIXA CHEIA DE DESVENTURAS E UM LIVRO LGBT | Unboxing #24


Bem-vindos a um unboxing com lombadas bem coloridas!
No final de junho fiz uma compra na Saraiva, pois gostei demais de como ficaram os preços dos livros quando os coloquei no carrinho. A caixa foi entregue dia 11 de julho, terça-feira, um dia antes da data do prazo. Confira abaixo todos os meus novos filhos:



O ELEVADOR ERSATZ, A CIDADE SINISTRA DOS CORVOS, O ESPETÁCULO CARNÍVORO, O ESCORREGADOR DE GELO, A GRUTA GORGÔNEA e O PENÚLTIMO PERIGO de Lemony Snicket: Comprei os volumes 6, 7, 9, 10, 11 e 12, ou seja, os que faltavam para eu completar minha coleção de Desventuras em Série. Minha jornada para encontrar os livros dessa série nos sebos chegou ao fim, pois percebi que valia mais a pena quando comecei a pesquisar os preços na Saraiva. Pretendo ler o terceiro volume ainda esse mês.

Quando eu abri a caixa e comecei a retirar os livros, pensei que não iria parar mais, e fiquei levemente assustada com o número de páginas deles. Eu realmente pensei que seriam finos como os primeiros. E a minha cor favorita das lombadas é, com certeza, a do volume 11, A Gruta Gorgônea.

SIMON VS. A AGENDA HOMO SAPIENS de Becky Albertalli: Com certeza minha segunda leitura de julho, estou muito curiosa sobre esse livro, que vai virar filme, por isso decidi ler ele antes. Amei a edição e como não sou boa em escrever sinopses, confira sobre o que se trata o livro aqui.




Ah! Esqueci de dizer que essa compra foi o meu presente antecipado de aniversário pra mim mesma, pois estou comemorando 21 anos dia 20 de julho :)
Abraços e até a próxima!