quarta-feira, 6 de julho de 2016

ENCRENCA de Non Pratt


Título: Encrenca
Título original: Trouble
Autora: Non Pratt
Editora: Verus
Páginas: 307
Ano: 2016
Nota: 5/5 + 

"Encrenca é a história de dois jovens que estendem a mão um para o outro quando todas as demais pessoas parecem lhes dar as costas."

Sinopse: Quando o colégio inteiro descobre que Hannah Sheppard está grávida, ela tem um verdadeiro colapso. E quem está ao seu lado é Aaron Tyler, um aluno novo e o único garoto que não parece ter segundas intenções em relação a ela. Desejando compensar seus erros do passado, Aaron toma uma difícil decisão: ele se oferece para fingir ser o pai do bebê. E, temendo revelar quem é o verdadeiro pai, Hannah aceita. Em um período marcado por perdas, arrependimentos e esperança, os dois vão descobrir que nada se compara a encontrar o seu primeiro melhor amigo de verdade. Este livro inteligente, por vezes comovente, por vezes engraçado, mostra que crescer pode ser complicado, mas é assim que se descobre o que realmente importa na vida.



Minhas expectativas para Encrenca estavam lá em cima. Não sei por que, mas estou amando histórias assim. Casal, amizade, segredos, perspectivas diferentes, gravidez. Então comecei a leitura e conheci a Hannah. Meu Deus, como ela me irritou, como me decepcionei com suas atitudes e pensamentos. Enfim, não me conectei com a protagonista. Porém, o crescimento da Hannah na história ficou evidente em certo ponto, e acabei admirando muito ela pelas mudanças que fez.

"A pessoa que eu sou hoje está atrelada a fatos que ainda estão por acontecer. Tudo o que pensei que poderia acontecer desapareceu num piscar de olhos, e sem isso eu não sei mais quem sou. Preciso me reencontrar um pouco antes de encarar a minha família." - página 81

Aaron, nosso outro protagonista, me conquistou desde sua primeira aparição. Ele é um cara legal, inteligente, divertido, e está tentando recomeçar sua vida, depois de algo muito grave que fez no passado. Há pequenas pistas durante sua narrativa, e isso me fazia criar várias teorias. Mas quando de fato foi revelado o que aconteceu com Aaron, fiquei muito chocada. Eu cheguei a parar de ler para respirar diante do relato dele.

"Viver é que me deixa exausto. Às vezes preciso de todas as minhas forças para sobreviver a mais um dia, e o de hoje foi muito difícil.
Talvez porque, pela primeira vez em seis meses, eu não queria ficar sozinho." - página 91

Eu gostei muito de alguns personagens secundários, como Neville, o senhor para quem Aaron faz companhia, Lola, a irmã mais nova (fofa) de Hannah, Ivy, a avó delas, Gideon e Anj, amigos de Aaron e Hannah. Até me surpreendi com uns, mas simplesmente odiei outros, pois foram idiotas, e eu detesto personagens idiotas. Porém eles foram preciso para a história funcionar.



Quando descobri quem era o pai do filho da Hannah, a revelação não foi tão chocante para mim quanto pensei que seria. Na verdade fiquei um pouco decepcionada e irritada. Então percebi que se esse fosse o único segredo da história (ainda restava o segredo do Aaron), não sei como teria seguido com a leitura, pois a Hannah até aquele momento não tinha me convencido ainda.

Mesmo diante de tantas coisas difíceis acontecendo, eu consegui rir (especialmente nos últimos capítulos, sério, eu não conseguia parar de sorrir), e apesar de tudo, a leitura foi leve. A escrita de Non Pratt é fluida e aos poucos me deixou bem envolvida.

Intercalando entre a narrativa em primeira pessoa de Hannah e Aaron, enquanto os meses avançam, passei um tempo com duas pessoas tão diferentes mas que juntas se apoiaram, e vi nascer uma amizade muito bonita. Mas preciso confessar que às vezes shippava os dois.



Encrenca me deixou em um estado de fascinação diante da história tão bem desenvolvida de Non Pratt. Eu ri, eu sorri, me irritei, me decepcionei, fiquei chocada, emocionada, feliz. Ainda não sei se o final me deixou satisfeita, mas de uma coisa eu sei: Não queria que a história terminasse.

Encrenca (esse título é demais e é citado várias vezes) conta uma história incrível que quando eu menos esperava, me fisgou completamente. Nas últimas páginas eu já sentia falta dos personagens e tentei ler bem devagar para aquele sentimento de estar lendo um livro maravilhoso durar pelo menos mais um minutinhos.

"Não faço ideia de como esse garoto acabou entrando na minha vida, mas nunca vou deixar de agradecer por isso." - página 155

Assim como em Amy & Matthew, eu queria contar tudo o que acontecia para as pessoas, mas também queria que elas lessem o livro e conhecessem a história de Hannah Sheppard e Aaron Tyler.

Abraços e até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário